Saiba mais sobre o Museu da Memória e Oralidades sobre a TV


COMO VOCÊ PODE PARTICIPAR?

Com um vídeo

Grave um vídeo de, no máximo, 10 minutos (limite), com reflexões sobre a TV. Publique o vídeo em sua página no YouTube. Em seguida, preencha seus dados pedido pela área “Fale Conosco” do nosso site e insira o link do seu vídeo. Vamos avaliá-lo e, se aprovado, publicá-lo em nosso museu virtual. Antes disso, solitaremos que você assine um termo de autorização de imagem.

Com um texto (crônica, conto ou relato)
Envie-nos o seu texto por e-mail. Vamos avaliá-lo e, se aprovado, será publicado em nosso museu virtual. Antes disso, solitaremos que você assine um termo de autorização de imagem.

___________________________________________________________________________________

O Museu existe em algum espaço físico?

Não. O nosso museu é um espaço exclusivamente virtual.


QUEM É NOSSO PÚBLICO-ALVO?

A nossa atuação é voltada para dialogar com toda a sociedade brasileira. Mas acreditamos que o conhecimento gerado e compartilhado dentro da nossa plataforma pode contribuir com pesquisadores e estudantes de Comunicação Social e da Educação, emissoras de televisão e interessados no tema “televisão”.


QUEM PODE PARTICIPAR?

Quem desejar compartilhar uma história relacionada à televisão. Nosso projeto é colaborativo, por isso são bem-vindos depoimentos em vídeo e textual de pessoas de todas as gerações. Queremos saber o que as pessoas pensam da televisão, considerando o passado, o presente e o futuro. Algumas sugestões de perguntas:

Passado

Queremos saber coisas como: Quando você assistiu TV pela primeira vez? Quais são as suas memórias de infância e adolescências relacionadas à TV? O que gostava de assistir e o que não gostava? Algum programa ou artista influenciou a sua vida em geral, profissão, escolhas, afetos, forma de se vestir? Que influência a TV exerce ou exerceu sobre a sua vida e a vida de sua família?

Presente

Você vê TV, com que frequência? O que a TV significa para você? O que você acha do futuro da TV? Quais dispositivos você usa para assistir TV? Você vê TV aberta, a cabo ou por streaming? Você acha que a programação da TV é relevante para a sua vida e para a sociedade? Você acha que os grupos historicamente excluídos (negros, comunidade LGBTQ+, povos originários no Brasil (indígenas), pessoas com deficiência, refugiados e imigrantes), as mulheres e nordestinos têm sido colocados em cenas de ficção e realidade (não-ficção) com dignidade, em seus conteúdos? É possível ver mais pessoas de grupos historicamente excluídos  em programas de entretenimento, teledramaturgias e telejornais? Como você percebe a representação desses grupos excluídos na TV, desde as referências que você acompanhou na infância?

Futuro

Qual seria o tratamento ideal a ser dado para as diversidades na televisão? Como seria a programação do seu canal de TV? (Tipos de programas, conteúdos) e o que você faria diferente daquilo que existe hoje na TV? Que tipos de conteúdos tornariam a televisão mais relevante? Como você gostaria que a TV fosse no futuro? Diante do modelo de programação que existe hoje na TV aberta e gratuita, o que você sugeriria aos dirigentes das emissoras para que ela pudesse ser mais relevante?

Gostaríamos de receber vídeos também de líderes comunitários, grupos de jovens, ativistas, professores, grupos culturais, grupos étnicos, grupos religiosos, LGBTQI + e estudantes de jornalismo.

POR QUE QUEREMOS A SUA AJUDA PARA CONSTRUIR O NOSSO ACERVO?

Queremos compreender em profundidade o que as pessoas sentem sobre a experiência de assistir TV no mundo contemporâneo. Sabemos que a televisão está em processo de transformação desde a chegada das tecnologias de comunicação digital e das redes sociais, que ecoam as vozes dos movimentos sociais e da sociedade como um todo, disposta a lutar por espaços de midiáticos que representem cada vez mais as diversidades culturais e étnicas do Brasil.